sábado, 15 de agosto de 2009

Seus olhos..

Fui louco, inconseqüente, rebelde, desafiador, provocador. Minha cabeça sem escrúpulos é um liquidificador maluco. Gira, gira, gira e não sai do lugar. Acho que não estava preparado para ser adolescente tão cedo. Agora não sei o que fazer com tanta informação. É espinha demais para o meu rosto! Acho que estou com medo de enfrentar essa adolescência. Estou beijando como se fosse a primeira vez, tocando como se fosse a primeira vez. Estou tremendo como se nunca tivesse passado por cima dessa ponte antes. É, acho que voltei a ser adolescente. Voltar, nesse caso, significa crescer? Tenho medo de ser a pessoa certa no tempo errado. Tenho medo de ser a melhor das respostas e a pior das dúvidas, de ser o melhor calmante e a adrenalina mais viciante... Medo de passar pela felicidade e perguntar: quem era é ela? Ser adolescente dá trabalho. É como ter dois pitbulls atrás de você. Não é preciso ter razão para correr... Queria ter um corpo agora para dormir. Minha cabeça pesa sobre o nada. Essa paz é muito barulhenta. Minha respiração parece um ventilador... Hoje teu olhar ganhou tanta força que se desprendeu de teus olhos. Cada um para um lado... Sim, cuidarei dos seus olhos. Cuidar é pensar. Estou aqui pensando uma maneira de melhor cuidar dos seus olhos. Olho para eles tentando fazer com que eles entendam o meu toque, o meu olhar. Inútil. Eles parecem cuidar de mim. Velarão o meu sono essa noite... Dormir não é relaxar, é concentrar-se em que eu quero que habite os meus sonhos. “É você, só você que na vida vai comigo agora...” Olho novamente para seus olhos para não te perder de vista. Quero você em meus sonhos juvenis... Os seus olhos têm memória. Lembro de belos filmes de ação, suspense e mistério. O final é sempre imprevisível. Vou dormir para não apagar as lembranças mais inquietas da minha adolescência...

Entrego seus olhos logo cedo, assim que eles me acordarem...