segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

Camila Heloíse

Não era qualquer coisa que iria endireitar meu espírito. Nem qualquer sacanagem que me encantaria. Ou qualquer meio beijo que me faria ficar. Eu precisava de outras coisas pra topar fechar os olhos e pular no abismo de alguém. Precisava de céu que significasse mais do que um azul infinito, precisava entender porque eu queria tanto ver o mar. E precisava de alguém que não quisesse fazer meu coração em picadinhos pra caber no próprio peito, e aceitasse ele inteiro, gigante.

Um comentário:

Joselito de Souza Bertoglio disse...

muito legal o teu blog concerteza vou voltar mais vezes, se desejar dá uma passadinha no meu, ficarei grato e honrado com a sua visita, um forte abraço

http://joselito-expressoesdaalma.blogspot.com/